Archive for setembro 22nd, 2018

Ciro Gomes diz que vai propor a revogação do teto para gastos públicos

Ciro Gomes durante caminhada pelo Aglomerado da Serra, complexo de favelas de Belo Horizonte (BH), neste sábado (22)  — Foto: Reprodução/TV Globo
Ciro Gomes durante caminhada pelo Aglomerado da Serra, complexo de favelas de Belo Horizonte (BH), neste sábado (22) — Foto: Reprodução/TV Globo

O candidato do PDT a presidente da República, Ciro Gomes, disse neste sábado (22) que, se eleito, vai propor a revogação da emenda 95 que estabeleceu um teto para os gastos públicospor 20 anos. Ciro chamou a emenda de “selvageria” e defendeu o fim do limite de gastos para garantir melhorias na saúde, educação e segurança pública.

Ciro Gomes fez campanha na manhã deste sábado em Belo Horizonte (MG). Ele caminhou com apoiadores pelo Aglomerado da Serra, complexo de favelas da capital mineira.

Fonte: https://g1.globo.com/mg/minas-gerais/eleicoes/2018/noticia/2018/09/22/em-campanha-em-minas-gerais-ciro-gomes-diz-que-vai-propor-a-revogacao-do-teto-para-gastos-publicos.ghtml

Carlos Eduardo: “Agora é redobrar trabalho“

Após a divulgação dos números da pesquisa Ibope/Rede Globo, que apontaram a definição do segundo turno e a sua arrancada  de 66% ou 10 pontos percentuais em relação ao levantamento anterior,  o candidato a governador pela coligação 100%RN, ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo (PDT) voltou a alertar o eleitor sobre a importância decisiva do voto este ano: “A hora é de redobrar os esforços, de manter a serenidade, a disposição, o ritmo e a consciência de que o Rio Grande Do Norte precisa de um gestor testado e aprovado”.

Carlos Eduardo, que tinha 15% na pesquisa de agosto, avançou para 25%, o maior crescimento entre todos os concorrentes. O segundo turno foi sacramentado, segundo o Ibope, pela vantagem da soma dos índices de todos os demais candidatos, que chegou a 46% contra 39% da senadora do PT, Fátima Bezerra, eleita em 2014 na chapa do atual governador Robinson Faria(PSD).

Além de pedir o engajamento ainda maior dos apoiadores, Carlos Eduardo destacou a importância de comparar as candidaturas e escolher o mais preparado em capacidade de gestão: “Quero fazer pelo Rio Grande do Norte o que foi possível fazer por Natal com seriedade e trabalho. Vamos começar cada jornada como se fosse a primeira”.

Na sexta-feira, Carlos Eduardo cumpriu programação pelo Médio Oeste, começando por Triunfo Potiguar, passando por Janduís, Messias Targino, Rafael Godeiro, Almino Afonso, Patu e Campo Grande.

Na região Metropolitana, Ezequiel faz encontro partidário em Vera Cruz

O deputado estadual, Ezequiel Ferreira (PSDB), visitou a cidade de Vera Cruz, localizado na região metropolitana de Natal onde participou de evento político-partidário em prol da reeleição à Assembleia Legislativa. Também estiveram com Ezequiel, em Vera Cruz, o candidato a deputado federal, Bênes Leocádio, e o candidato à reeleição a deputado federal, Rafael Motta.

“Para os veracruzenses temos focado o trabalho em ações de fortalecimentos das cadeias produtivas da agricultura familiar daí a necessidade de melhoria das ações da Emater no município. Ação que já é uma realidade, bem como mais viaturas para reforçar as atividades de segurança pública”, explicou Ezequiel.

Ladeado de Amauri Sales, presidente do diretório municipal do PSDB, e da liderança política Cleonaldo Júnior, Ezequiel conversou com correligionários onde teve oportunidade de prestar contas do mandato.

Durante os últimos anos buscou junto ao Governo Estadual a reformas de Escolas Estaduais; ônibus escolar. Para a segurança ainda pleiteou a Ronda Cidadã. Nas ações sociais solicitou o Vila Cidadã; Cartão Reforma Programa Moradia Cidadã e Moradia Cidadã Servidor, Pró-Moradia e Cartão Reforma Estadual e Federal. No setor de infraestrutura cobrou a pavimentação do trecho da RN-315 que liga Vera Cruz a Bom Jesus e pavimentação da rua principal de Araçá II. Para combater a estiagem viabilizou a plantação da raquete de palma forrageira e perfuração de poços nas comunidades: Sítio Santa Cruz, Jacaré, Ponta de Várzea Ganipapo, Euzébio e Pitombeiras.

Bolsonaro diz em rede social que conhecer país apenas em períodos eleitorais é oportunismo político

G1GLOBO – O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, disse em postagem em uma rede social na manhã deste sábado (22), que conhecer o país apenas em períodos eleitorais é oportunismo político.

“Há tempos temos percorrido o Brasil, de Norte a Sul, conhecendo as peculiaridades de cada região. Não nos importamos com nosso país apenas em períodos eleitorais com o oportunismo político habitual. Sempre construímos a confiança no olho a olho! Juntos vamos resgatar nossa nação!”

Ele está internado há duas semanas em São Paulo após ser atacado por uma facada durante ato de campanha em Juiz de Fora (MG)

Denúncia do MP pode causar transtornos irreparáveis a candidato denunciado, caso este seja inocente

Resultado de imagem para Ministério público
Foto: da Internet

As denúncias do Ministério Público contra pessoas candidatas no período eleitoral estão causando má interpretação por muitas pessoas, mesmo as que têm um melhor conhecimento, já que essas denúncias poderiam ser feitas antes ou depois do pleito eleitoral.

O que nos chama atenção é de que algumas investigações que há meses, e algumas com mais de ano, estão sob a tutela do Ministério Público, e só, apenas, em pleno período eleitoral elas venham ser manifestas ao público.

Ainda que aja com lisura os seus procuradores não deixam da causar interferências nos resultados das eleições daqueles que sofrem as denúncias; no caso, eles, os promotores da lei findam, possivelmente sem intenção, favorecendo os oponentes dos denunciados.

Como expectador das notícias e informações diversas no Brasil, também como eleitor, é de se, pelo menos, questionar o porquê dessas ações acontecerem em um tempo de livre exercício do cidadão na política, na campanha eleitoral; já que uma denúncia contra qualquer candidato por mais legítima que seja não oferece tempo hábil para a ampla defesa, haja vistas que o pleito eleitoral tem uma duração de apenas 45 dias. Não que sejamos contra as denúncias e investigações do PM. Pelo contrário, torcemos que essa instituição da sociedade venha ter mais forças e possa conseguir mais êxito em suas demandas.

Há poucos dias o MP federal fez uma denúncia contra um candidato a presidente; aqui, no Estado do Rio Grande do Norte, o MP estadual fez uma denuncia contra um candidato ao governo, e por último fez uma operação  e denúncia contra a Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Norte, chegando até a prender uma pessoa de importância naquela casa.

Não estamos dizendo que o MP criou as denúncias, mas questionando o porquê faze-las em pleno andamento de uma campanha.  Ação que pode favorecer as candidaturas de pessoas oponentes. Com isto causa um prejuízo irreparável, caso o denunciado seja considerado inocente, após o devido processo lega. Pois não há como retroagir a data do pleito eleitoral e retificar o prejuízo causado aquele acusado.

Diante do lecionado pela a Constituição Federal tomando apoio à livre manifestação e à liberdade de expressão, podemos, sim, questionar as causas que levam um órgão tão renomado e respeitado entre o povo, como é o MP, em fazer denúncias nos dias de campanha eleitoral. Pois com tais ações, mesmo que legítimas, não deixam de puxar para baixo o número de eleitores que votariam no candidato denunciado.

O que fazer? Caso o douto Ministério Público venha investigando um determinado político, possível candidato, que venha fazer as denúncias antes ou depois da data do período eleitoral. (É só uma sugestão) Salvo se o crime for contra a vida, e este tenha sido pego em flagrante ou com provas irrefutáveis.

A nossa sociedade tem a ideia de que o acusado é sumariamente culpado, pois esses são culpados até que se prove ao contrário, contradizendo a máxima da Constituição Federal quando diz que ninguém será considerado culpado sem que haja sentença transitada em julgado. Como ficarão as pessoas atingidas por tais denúncias, quando o calendário eleitoral não pode voltar atrás, caso sejam aqueles acusados inocentados?

Não se trata de pautar as investigações do MP por causa das eleições, mas pelo zelo do princípio do bom juízo e da boa-fé, não seria possível que o MP evitasse fazer denuncias nos dias de campanha eleitoral, já que pode por um equívoco, influenciar a decisão de um homem médio quanto às eleições, viciando as eleições de um município, estado, ou até mesmo a nação. Pois há grande possibilidade de um inocente perder a campanha por causa de acusações feitas pelo ilustríssimo órgão do Ministério Público.