Archive for dezembro 19th, 2018

Políticos se preparam para volta do Prona; no RN partido será presidido por Franklin Vasconcelos

Extinto há mais de dez anos, o Partido de Reedificação da Ordem Nacional (Prona), do lendário Enéas Carneiro, procura ressurgir já para disputar o pleito de 2020. O partido aguarda apenas a liberação da Justiça Eleitoral, mas já adiantou os trabalhos para a formação dos comitês provisórios e diretórios estaduais pelo Brasil.
O Prona, se encontra em fase final de revisão de assinaturas para voltar à ativa, será digirido no Rio Grande do Norte pelo contador Franklin Vasconcelos, que tem atuado na eleição de alguns políticos do Estado desde 2010. Ele acredita que o ressurgimento do partido trará uma nova opção para o eleitorado potiguar.
“Nosso objetivo com o Prona é claro: combater a corrupção e trazer mais uma opção para o eleitor. Aceitei o convite que me foi oferecido para que possamos dar continuidade ao processo de por um fim à essa velha política instalada em nosso estado. Temos um projeto em construção para as próximas eleições e estamos aguardando apenas o TSE [Tribunal Superior Eleitoral] para nos fortalecermos”, disse.
O Prona conseguiu as 500 mil assinaturas necessárias para a recriação, porém, o TSE contestou algumas delas alegando que foram rasuradas. Por isso, o partido passou por uma revisão de assinaturas e, agora, aguarda nova decisão para voltar a existir.
Franklin é empresário, contador especialista em Auditoria e Perícia Contábil e com MBA em Contabilidade, Auditoria e Gestão Tributária. Ele também é conselheiro do Conselho Regional de Contabilidade (CRC) do Rio Grande do Norte.

Ezequiel é diplomado para um novo ciclo no Legislativo Potiguar

O presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), recebeu das mãos do juiz eleitoral Gustavo Smith o diploma do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RN) para o exercício do mandato de deputado estadual para o período de 2019 a 2022.O ato foi na tarde desta quarta-feira (19), em cerimônia no Teatro Riachuelo. Após receber o diploma, o deputado Ezequiel Ferreira destacou que a diplomação marca um novo ciclo para o exercício de um mandato ainda mais próximo dos anseios da população.

“A diplomação marca o fim da eleição e o início dos novos mandatos. A cerimônia coroa o ciclo da eleição, o candidato fica habilitado a exercer o cargo para o qual foi eleito”, disse ele, que no momento da entrega do diploma estava na companha do pai, o ex-deputado Ezequiel Ferreira.

Dos 24 deputados estaduais do Rio Grande do Norte, eleitos no pleito de 2018, foram diplomados 23. Sandro Pimentel por questões jurídicas não foi diplomado. Na ocasião, também foram diplomados a governadora eleita, Fátima Bezerra (PT), o vice-governador eleito, Antenor Roberto (PCdoB), dois senadores e seus dois suplemente e oito deputados federais. Com a eleição de Fátima Bezerra para o Governo do Estado, a vaga dela no Senado Federal será ocupada pelo advogado e economista Jean-Paul Prates, primeiro suplente na chapa que concorreu em 2014.

Com a diplomação, a Justiça Eleitoral confirma que os candidatos eleitos em outubro estão aptos a tomar posse dos cargos, uma vez que a entrega dos diplomas é feita após o prazo de questionamento e de processamento do resultado das eleições.

Além da entrega dos diplomas aos eleitos em 2018, a solenidade contou com o discurso da governadora diplomada Fátima Bezerra que relembrou os desafios da campanha para a escolha de uma gestora de origem popular e os desafios que terá para promover o equilíbrio econômico e fiscal do Poder Executivo. E, em seguida, o presidente do TRE, desembargador Glauber Rêgo, discursou ressaltando que aquele era um momento marcante da democracia, representando a escolha e a soberania popular. E, por fim, a sessão solene foi encerrada.

A posse da chefe do Executivo e do seu vice será em 1° de janeiro em cerimônia conduzida pelo Poder Legislativo, às 15h na Escola de Governo, no Centro Administrativo. A posse dos deputados e senadores acontecerá em 1° de fevereiro.

Operação da PF combate crimes financeiros e lavagem de dinheiro no RN

Operação cumpre seis mandados judiciais de busca e apreensão em Natal expedidos pela 15ª Vara Federal de Ceará-Mirim — Foto: PF-RN/Divulgação
Operação cumpre seis mandados judiciais de busca e apreensão em Natal expedidos pela 15ª Vara Federal de Ceará-Mirim — Foto: PF-RN/Divulgação

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quarta-feira (19) uma operação denominada ‘Caviloso’, cujo objetivo é apurar crimes financeiros, estelionato, falsidade, lavagem de dinheiro, entre outros delitos. Estão sendo cumpridos 6 mandados judiciais de busca e apreensão em Natal expedidos pela 15ª Vara Federal de Ceará-Mirim. O nome da operação faz alusão àquele que emprega cavilação, isto é, ‘proposta traiçoeira’.

Segundo a PF, a investigação teve início para apurar notícia de que um empreendimento em Ceará-Mirim teve algumas de suas unidades vendidas no exterior, sem a consequente internalização dos recursos no Brasil, fato que poderia importar crime de evasão de divisas.

Além disso, foi noticiado que as aquisições das unidades imobiliárias seriam na verdade investimento com percentual de retorno garantido, consistindo em captação de recursos, atividade típica de instituição financeira para a qual não existia autorização.

Produzidas perícias e análises financeiras, confirmou-se que os dirigentes da empresa sob suspeita atraíram investidores em Singapura, no sudoeste asiático, para deles receber dinheiro que veio a ser destinado, em parte, a empreendimentos no Brasil, mas não para aquisição patrimonial e, sim, a título de investimento com ganho previamente ajustado.

Diferentemente do que se delineava no início da apuração, o grupo sob investigação tinha atuação bem mais ampla, pois ofertou em Singapura oportunidade de investimento atrelada a outros empreendimentos nas cidades de Parnamirim, Macaíba e São José de Mipibu, situadas na região Metropolitana de Natal.

G1RN

PF realiza operação de busca e apreensão no apartamento de Kassab na capital paulista

Um delator afirmou que o político recebeu uma mesada de R$ 350 mil por mês em 2009, quando ainda era prefeito da capital

Polícia Federal faz buscas no apartamento do ministro da Ciência e Tecnologia, Gilberto Kassab (PSD), em São Paulo, na manhã desta quarta-feira (19).

A ação é decorrente da delação da JBS. Um delator afirmou que o político recebeu uma mesada de R$ 350 mil por mês em 2009, quando ainda era prefeito da capital.

A operação também faz buscas no apartamento do irmão do ministro, Renato Kassab. A ação desta quarta também ocorre em São Bernardo do Campo, São José do Rio Preto e Natal. Os mandados a serem cumpridos nesta quarta foram autorizados pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes.

Em resposta à Jovem Pan, o ministro respondeu que “confia na Justiça brasileira, no Ministério Público e na imprensa, sabe que as pessoas que estão na vida pública estão corretamente sujeitas à especial atenção do Judiciário, reforça que está sempre à disposição para quaisquer esclarecimentos que se façam necessários, ressalta que todos os seus atos seguiram a legislação e foram pautados pelo interesse público”.

O inquérito com base na delação da JBS investiga se Kassab cometeu corrupção passiva, lavagem de dinheiro e caixa dois. O caso apura o suposto pagamento do grupo J&F ao ministro por meio de contratos com as empresas Yape Transportes e Yape Consultoria, ligadas a Kassab.

A investigação mira ainda os repasses feitos pelo grupo a Kassab referentes a uma suposta compra de apoio políticos do PSD pelo PT.

Em acordo de colaboração premiada, Wesley Batista disse que quando era prefeito da capital paulista, Kassab recebia R$ 350 mil de propina por mês em aluguel de caminhões. Os pagamentos foram feitos, segundo o executivo do grupo J&F por seis anos, resultando em cerca de R$ 20 milhões.

Já Ricardo Saud, outro executivo do grupo, disse em delação que Kassab teria vendido apoio político do PSD à campanha de Dilma Rousseff ´`a reeleição na Presidência em 2014.

 

Jovem Pan