Archive for dezembro 26th, 2018

Com o 13º salário de 2017 ainda em atraso, policiais civis fecham delegacias no RN

Em protesto contra o atraso no pagamento dos salários, policiais civis do Rio Grande do Norte e servidores da Secretaria de Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) iniciaram na manhã desta quarta-feira (26) uma paralisação denominada ‘Operação Zero’. A orientação é para que agentes e escrivães de todo o estado não abram as delegacias e parem de trabalhar por tempo indeterminado.

O governo do estado não pagou o 13º salário de 2017 dos servidores públicos que ganham acima de R$ 5 mil. Além disso, ainda não divulgou quando vai pagar os salários de dezembro nem o 13º deste ano.

“Agentes e escrivães não irão para as delegacias. No interior, inclusive, eles devem se concentrar nas delegacias regionais e zero procedimento”, destacou Nilton Arruda, presidente do Sindicato dos Policiais Civis do RN.

“A categoria está firme. E não vai voltar a trabalhar enquanto ele (o governo) não pagar o que está atrasado e pelo menos sinalizar uma data para o salário de dezembro”, disse Carolina Campos, presidente da Associação dos Escrivães de Polícia Civil do RN (Assesp/RN).

G1RN

‘Eu não tinha esperança’, diz pai de rapaz que sobreviveu a tromba d’água durante rapel em MG

Eduardo e o pai, Francisco, em casa na manhã desta quarta-feira (26) — Foto: Graziela Fávaro/EPTV
Eduardo e o pai, Francisco, em casa na manhã desta quarta-feira (26) — Foto: Graziela Fávaro/EPTV

“Eu não tinha esperança”. É assim que o pai de Eduardo Gomes Moraes, que sobreviveu após uma tromba d’água atingir a cachoeira onde ele e um grupo de amigos fazia rapel e nadava em São João Batista do Glória (MG), resume a surpresa pelo reencontro com o filho, na noite desta terça-feira (25). Após o incidente que matou cinco pesssoas, o rapaz chegou à própria casa andando, após três dias desaparecido.

“Renasceu, meu filho. Não tem o que falar, porque você não está esperando o retorno vivo e ele aí, até rindo, com jeito natural dele, que ele é. Uma criança. A família renasceu”, afirma Francisco Moraes.

G1