Archive for setembro 10th, 2021

Reformas em imóveis aumentam na pandemia e impulsionam lojas de material de construção, móveis e decoração no RN

Larissa Cavalcante fez várias reformas em casa durante a pandemia — Foto: Arquivo pessoal
Larissa Cavalcante fez várias reformas em casa durante a pandemia — Foto: Arquivo pessoal

Uma pesquisa feita em todo país mostrou que pelo menos 11% dos brasileiros resolveram realizar reformas em casa durante a pandemia. Esse comportamento movimentou as lojas de material de construção e de móveis e decoração. Algumas delas, viram o faturamento subir até 30% por mês.

Cerca de 73% dos brasileiros passaram a ver suas casas de forma diferente por causa da pandemia da Covid-19. O distanciamento social, o trabalho e a escola remotos foram os principais vetores para essa vontade e necessidade de mudanças.

O dado é de um levantamento feito por uma das maiores imobiliárias digitais do país em parceria com um instituto de pesquisa de mercado.

Com os lares recebendo mais cuidados, as lojas de móveis e de artigos de decoração não sentiram a crise vivida por vários outros segmentos. Seus produtos passaram a ser prioridade nas compras de várias famílias.

Em uma loja localizada em Natal, escrivaninhas e móveis para escritórios foram os produtos mais vendidos em março e abril de 2020. Atualmente, os consumidores procuram mais por sofás e mesas de jantar. A demanda resultou em um aumento de mais de 30% no lucro da empresa, comparando com o período pré-pandemia.

“O que nos surpreendeu foi que essa lucratividade mensal não diminuiu. Muito pelo contrário, ela teve um crescente aumento. Talvez pelo pessoal não estar podendo fazer viagens e por toda a questão da pandemia e das medidas restritivas, passou a enxergar com um olhar mais específico essa questão do bem-estar e da sua casa”, explica o supervisor comercial David Torres.

O que também contribuiu para o aumento na procura por móveis foi o crescimento de vendas no mercado imobiliário durante a pandemia. Cerca de 17% dos brasileiros decidiram mudar de casa ou de apartamento no último ano, mesmo em meio à crise.

Quem decidiu se mudar para espaços maiores ou menores teve a necessidade de móveis novos e de reformas para adaptar os ambientes às necessidades da família.

Larissa Cavalcante faz parte do grupo de 11% da população brasileira que resolveu realizar reformas no lar durante a pandemia. Algumas mudanças na casa da jornalista já estavam planejadas. Outras surgiram depois que o dinheiro, guardado para viagens, teve que ganhar novas funções.

A casa ganhou novas formas, cores e espaços, como um ateliê para pinturas, um escritório organizado e reservado e o quarto, que agora tem uma saída para a piscina.

“Eu tinha um projeto de morar fora. E, na pandemia, como tudo mudou, isso também mudou. Primeiro, não tínhamos como sair do país. Segundo, estava tudo muito caro. Aí depois de tudo que aconteceu, de termos pego a doença, pensamos ‘poxa, se a gente tivesse morando em outro país, longe das nossas famílias, dos nossos amigos, o que ia acontecer?’. E aí desistimos de ir embora. Aí pegamos toda essa economia e investimos na nossa casa. E foi a melhor coisa que a gente fez, não nos arrependemos”, conta Larissa.

G1RN

STF decidirá presencialmente prazo para Lira analisar pedidos de impeachment contra Bolsonaro; relatora, Carmem Lúcia é contra fixar tempo

Lira pede "basta" às ofensivas de Bolsonaro contra o STF
(crédito: Cleia Viana/Camara dos Deputados)

O Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu nesta sexta-feira (10) o julgamento em plenário virtual sobre a determinação de prazo para o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), analisar pedidos de impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

O tema foi retirado de pauta após um pedido de destaque do ministro Ricardo Lewandowski. Com isso, o caso deverá ser analisado no plenário físico da Corte em data a ser definida pelo presidente do STF, Luiz Fux.

Em nota, o gabinete do ministro Lewandowski afirmou que ele “entende que a importância do tema demanda uma análise mais aprofundada em sessão presencial e não em julgamento virtual”.

Iniciado nesta sexta, o julgamento em plenário virtual, onde os ministros apenas depositam o voto no sistema e não debatem, já tem o voto da relatora, ministra Cármen Lúcia, que é contrária a fixação de prazo.

Para Cármen Lúcia, a legislação não dá prazo ao presidente da Câmara para analisar os pedidos de impeachment e, por isso, estabelecer esse prazo através do Judiciário feriria a independência dos Poderes.

Com o tema transferido para plenário, os ministro poderão debater antes da apresentação do voto. O pedido para a análise dos pedidos de impeachment por Lira em um tempo determinado foi feito pelo deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP) por meio de um mandado de injunção remetido ao Supremo em abril deste ano.

CNN Brasil / BG

“Recuo” de Bolsonaro não vai mudar comportamento do STF, dizem ministros, que citam importância de ‘colocar limites’

Promotores de Brasília pedem a prisão de nove ministros do STF | Brasil |  Pleno.News
Supremo Tribunal Federal (STF) Foto: Divulgação/STF

O recuo do presidente Jair Bolsonaro em seus ataques ao Judiciário não vai mudar o comportamento do Supremo Tribunal Federal (STF) em relação a atos do governo ou de aliados considerados golpistas, antidemocráticos ou ilegais. A avaliação foi obtida pelo blog em conversas com ministros da Suprema Corte.

Em carta divulgada na quinta-feira (9), Bolsonaro voltou atrás nos ataques que fez à democracia e ao Supremo durante as manifestações antidemocráticas de 7 de setembro. Chegou a dizer que nunca teve a intenção de atacar instituições democráticas

Segundo um ministro, não faz sentido imaginar que depois de o presidente recuar o STF passaria a ter outra atuação em relação a atos de Bolsonaro e de seus seguidores. Seria, segundo esse ministro, admitir que o Supremo estaria errando, o que não é o caso.

Outro ministro destacou ao blog que o recuo do presidente mostra, inclusive, que o tribunal está cumprindo o seu papel de atuar de forma independente para colocar limites no governo Bolsonaro quando ele baixa medidas inconstitucionais e ilegais.

E que os limites foram dados também aos militantes bolsonaristas quando usam redes sociais e defendem nas ruas pautas antidemocráticas. “Esse é o papel que a população espera da Suprema Corte”, disse ele.

O blog ouviu também de um ministro que a retratação do presidente, em seus ataques ao STF, “não mudará nada” dentro do Supremo, porque o tribunal age de acordo com a Constituição.

Acrescentou ainda que não foi o STF que procurou o ex-presidente Michel Temer, responsável pela proposta de Bolsonaro divulgar uma “Declaração à nação” como um pedido de paz entre o Executivo e o Judiciário.

O documento divulgado por Bolsonaro foi elaborado por Temer, que veio a Brasília trazido em avião do governo federal.

Ministros do STF dizem que todos os 10 pontos citados na nota mostram um “evidente e declarado recuo” de Bolsonaro, porque a atitude do presidente estavam exatamente na direção contrária.

Por sinal, ministros esperam que, desta vez, o presidente não “recue do seu recuo”, como já fez em outras oportunidades.

Apesar dessa expectativa, a avaliação dentro do Supremo é que o presidente, assim que o clima ficar mais calmo e ele conseguir aprovar suas medidas no Congresso Nacional, voltará aos ataques. “Se é que isso não acontecerá bem antes”, acrescentou um ministro do STF.

Blog do Valdo Cruz – G1 via BG

Debate em audiência pública aponta caminhos para ações em defesa da juventude rural

Os depoimentos de representantes de várias entidades ligadas às questões da Juventude do Rio Grande do Norte, notadamente da área rural, na Audiência Pública realizada na manhã desta sexta-feira (10), pelo Sistema de Deliberação Remota da Assembleia Legislativa vão traçar os caminhos para novas ações voltadas para o segmento.  Essa foi a conclusão que ficou evidenciada após os depoimentos de 10 debatedores, convidados pelo deputado Francisco do PT, propositor da audiência.

“O resultado desse debate aponta caminhos para que o diálogo seja aprofundado com a juventude nos mais diversos segmentos. A partir desse debate vão ser intensificadas ações que possam atender as demandas da nossa juventude do campo, na sucessão rural, políticas públicas, educação e trabalho. Sem uma sucessão garantida no campo, não vamos ter que produza os nossos alimentos”, registrou o deputado Francisco do PT.

A perspectiva de retorno às aulas precisa ser discutida a partir da saída de casa do estudante, o ônibus que ele vai utilizar, a informação sobre quantos alunos estão vacinados, como está a sala de aula. Esse foi um dos questionamentos dos debatedores.

Também foi levantado que muitos estudantes estão sem acesso à educação, à cultura e ao trabalho, porque não há incentivo do Governo Federal.  O acesso da juventude rural às tecnologias se agravou bastante desde o início da pandemia da Covid-19.

Além disso foi abordado o fechamento das escolas e a sucessão rural, com a necessidade de políticas públicas que garantam a manutenção da juventude no campo.

Participaram do debate Stefany Kovalski (UNE), Roberth Góis (UBES), Yadson Magalhães (União Estadual dos Estudantes), Silmara Rodrigue (FETARN), Dannyele Rosana (Sinte-RN), Fernando Ferreira (Rede Juventude Seridó), Francisco Marcos (PJR). Madson Ranier (Vereador de Currais Novos), Gabriela Leopoldo e Gabriel Medeiros (Subsecretário da Juventude).

Eudiane Macedo requer implantação da Semana da Mulher Potiguar no RN

A deputada Eudiane Macedo (Republicanos) apresentou requerimento na Assembleia Legislativa, direcionado ao Governo do Estado, solicitando que seja incluído no Calendário Oficial do  Estado  do  Rio  Grande  do  Norte  a “Semana da Mulher Potiguar”, a realizar-se todos os anos na semana que recair o dia 08 de março, Dia Internacional da Mulher.

“A  semana  será  dedicada  ao  desenvolvimento  de  ações  educativas acerca da situação da mulher em nossa sociedade. Caberá ao  Poder  Executivo  implementar  essas  ações  junto  aos  órgãos públicos  e privados, sob a forma de campanhas institucionais, seminários, palestras e outras formas que julgar conveniente, objetivando sempre promover a instrumentalização de políticas públicas no âmbito do Estado do Rio Grande do Norte”, explicou.

Eudiane disse ainda que uma vez instituída, na Semana da Mulher Potiguar, serão promovidos eventos e programas de cunho cultural, educativo e preventivo que desenvolvem a compreensão sobre a importância do papel da mulher na sociedade e evidencia sua contribuição na construção da nossa sociedade.

Lira elogia Bolsonaro: “Não é o momento para desarranjos institucionais”

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), elogiou a “Declaração à Nação” do presidente Jair Bolsonaro, em que o chefe do Poder Executivo afirmou que nunca teve intenção de agredir qualquer um dos Poderes da República e que palavras contundentes nos discursos do Sete de Setembro decorreram do calor do momento.

O documento foi sugerido pelo ex-presidente Michel Temer, que almoçou com Bolsonaro em Brasília. Temer também manteve contato telefônico com o ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes.

Em entrevista ao jornalista José Luis Datena, da Rede Bandeirantes, Lira afirmou que o presidente Bolsonaro serenou os ânimos.

“O País é maior do que qualquer instituição ou presidente de Poder. Temos a obrigação de trabalhar em harmonia. Temos problemas, temos o resto da pandemia, o problema do desemprego, dos precatórios, que podem afetar os recursos de investimento. Não é o momento para desarranjos institucionais”, afirmou Lira.

BG

Bolsonaro aprovou a ‘Declaração à Nação’ escrita por Temer na manhã seguinte aos atos de 7 de setembro

Bolsonaro recorre a Temer e se retrata de ataques a ministros do STF
Bolsonaro recorre a Temer e se retrata de ataques a ministros do STF

Depois do golpe frustrado do dia 7 de setembro, o presidente Jair Bolsonaro “acordou” da habitual insônia com ressaca cívica. Às 6h30 da manhã do dia 8, ele já estava pendurado no telefone com Michel Temer e ouviu o texto da carta de rendição. Aprovou os termos e na hora e combinou o almoço para acertarem os detalhes finais.

O leitor acha que Temer respondeu: “Ver-nos-emos logo mais”? Lógico que não. Temer é cuidadoso com quem não tem amplo repertório linguístico, como Bolsonaro, além de ser um ghostwriter caprichoso: evitou o uso de mesóclise e incluiu a expressão “esticar a corda” para deixar a carta com a cara de Bolsonaro

O texto começou a ser redigido na noite anterior por Temer com revisão do marqueteiro Elsinho Mouco.

Assim, Bolsonaro e Temer repetiram a mesma estratégia de 1999, quando Temer ajudou a salvar o mandato de Bolsonaro com a auxílio de uma carta também com um suposto arrependimento.

G1

Zé Trovão agora diz que não se entrega e desassocia Bolsonaro de caminhoneiros

Crédito: Reprodução
Bolsonarista Zé Trovão está foragido (Crédito: Reprodução)

Um dos principais líderes das manifestações em favor do presidente Jair Bolsonaro, Marcos Antônio Pereira Gomes, o Zé Trovão, está no México. Considerado foragido da Justiça, ele, primeiro, afirmou que se entregaria às autoridades. Pouco depois, avisou que continuará em fuga e orientou bolsonaristas a “invadir Brasília”.

Com ordem de prisão expedida, Zé Trovão continua dando instruções para apoiadores de Jair Bolsonaro pelo Brasil, por meio das redes sociais. Um dos principais meios de comunicação é um canal do Telegram com mais de 24 mil seguidores.

Mais cedo, ele falou que estava cansado de fugir e que esperaria a polícia prendê-lo, em um hotel no México.

“Em alguns momentos, eu devo ser preso. Eu não vou mais fugir. Chega, eu estou cansado disso. Para quem não sabe, estou no México. A embaixada brasileira acaba de entrar em contato com o hotel que eu estou. Em alguns momentos, provavelmente a polícia vem aqui me recolher”, afirmou.

IstoÉ

Polícia Federal incinera mais de meia tonelada de drogas no RN

A Polícia Federal, com a devida autorização da Justiça e sob forte esquema de segurança, incinerou na manhã desta quinta-feira, 9/9, no alto-forno de uma usina na Zona Rural de Arês, Região Metropolitana de Natal, aproximadamente 687 kg de substâncias entorpecentes, entre pasta base, maconha, cocaína e ecstasy, além de hormônios importados (“bombas”) e petrechos utilizados para acondicionar drogas.

O montante destruído é parte das apreensões realizadas nos anos de 2020 e 2021, nos municípios de Natal, Macau, São Paulo do Potengi e Santa Cruz.

A incineração teve acompanhamento do chefe da Delegacia de Repressão a Drogas da PF, um promotor de Justiça do RN e fiscais da Vigilância Sanitária.

BG

Operação do MPRN prende em SP integrante de grupo criminoso que aplica golpes pelo WhatsApp

Algemas imagens de stock, fotos de Algemas | Baixar no Depositphotos
Foto da Internet

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) deflagrou nesta sexta-feira (10) a operação Duas Etapas. Um homem de 53 anos foi preso preventivamente em São Bernardo do Campo/SP pelo crime de estelionato. A investigação do MPRN descobriu que ele mantinha contas bancárias para recebimento do dinheiro proveniente de golpes aplicados pelo WhatsApp.

O nome da operação é uma alusão ao recurso opcional (confirmação em duas etapas) que adiciona uma camada extra de segurança à sua conta do WhatsApp. Essa tela aparece após o usuário ter registrado seu número de telefone no aplicativo com sucesso. Após ativar a confirmação em duas etapas, o usuário poderá adicionar seu endereço de e-mail. Isso permite que o aplicativo envie um link para que o usuário possa redefinir seu PIN e ajuda a manter sua conta segura.

A operação Duas Etapas cumpriu mandados de prisão preventiva e também de busca e apreensão em São Bernardo do Campo. A ação conta com o apoio do Ministério Público de São Paulo (MPSP) e da Polícia Militar paulista.

O MPRN apurou que o homem preso agia como um “testa de ferro” do grupo criminoso. Ele abria contas bancárias e as disponibilizava para recebimento do dinheiro proveniente dos golpes e movimentação financeira. Ao todo, foram encontradas 12 contas mantidas por ele para cometimento do crime de estelionato. Essas contas revelam, ainda, uma movimentação financeira superior à condição do preso na ação, que trabalha como porteiro.

Uma das vítimas do estelionatário identificadas é um aposentado de 74 anos. No dia 25 de janeiro de 2020, o WhatsApp do genro dele foi clonado. Desconhecendo essa informação, o idoso, após solicitação de dinheiro pelos estelionatários, transferiu o valor solicitado para a conta fornecida nas mensagens. Acreditando que estivesse prestando auxílio ao genro em uma situação de emergência, o aposentado transferiu os valores solicitados.

O material apreendido na ação será trazido para o Rio Grande do Norte para análise por parte do MPRN. O homem preso já foi encaminhado para uma unidade prisional paulista, onde irá aguardar por decisão judicial.

Com MPRN/BG