Archive for maio 17th, 2022

Ministério sugere mudança na política da Petrobras que reduziria em até 15% o preço dos combustíveis

Vista da sede da Petrobras no Rio de Janeiro (RJ)
Vista da sede da Petrobras no Rio de Janeiro / ALLISON SALES/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Uma ideia que teria surgido no Ministério de Minas e Energia prevê uma mudança na forma como a Petrobras calcula o preço do petróleo que vai para as refinarias brasileiras. Segundo estudos preliminares, uma mudança poderia acarretar uma redução de até 15% nos preços dos combustíveis. Hoje, a estatal usa o chamado preço cif, que inclui custos de importação do petróleo, frete, logística, armazenagem segura e outras variáveis. Isso é calculado mesmo quando o petróleo é produzido no Brasil. A proposta do ministério é que seja trocado o cif pelo fob, mas a ideia não repercutiu muito bem entre a direção e os acionistas.

Pessoas ligadas a Petrobras ouvidas pela Jovem Pan dizem que a mudança seria inviável uma vez que os importadores de derivados não iriam conseguir mais trazer de fora diesel e gasolina para concorrer com os combustíveis vendidos pela Petrobras. Esses importadores atendem cerca de 20% do mercado interno, enquanto a Petrobras atendem o restante, 80%. As mesmas pessoas ainda apostaram que a ideia não deve prosperar. Diante da discussão, surgiu um novo boato sobre mais uma mudança no comando da Petrobras. O cenário cria insegurança, o que é muito ruim para o desempenho dos papeis das ações da estatal no mercado de capitais, principalmente para os investidores extrangeiros.

O economista Aurélio Valporto afirma que a Petrobras usa preços fictícios de importação para formar os preços do diesel e da gasolina no Brasil. “Um dos grandes problemas da política de preços adotata pela Petrobras, a PPI, é que ela não apenas pratica internamente para o petróleo aqui extraído os preços ditados por um cartel internacional, a Opep, como ela adiciona a esse preço internacional uns fictícios custos de importação. Ou seja, ela adiciona frete, armanemento, movimentação de serviços associados ao seu preço, até mesmo uma inacreditável taxa de risco, cálculada para adicionar ao preço final. Tudo isso com o intuito de viabilizar a existência de importadores independentes, que não deveria existir. A própria Petrobras deverá importar o pouco petróleo, o pouco refinado que ela não é capaz de produzir internamente, diluir nos seus custos e fornecer ao mercado interno”, afirma.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga

Jovem Pan

Turquia avisa que vai vetar entrada de Finlândia e Suécia na Otan

Recep Tayyip Erdogan
Erdogan é próximo de Putin e pode tentar evitar que organização se expanda e o desagrade / EFE/EPA/STEPHANIE LECOCQ

O presidente da TurquiaRecep Tayyip Erdogan, afirmou nesta segunda, 16, que não aprovará a entrada de Finlândia e Suécia na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), aliança militar que conta com Estados Unidos, Canadá e diversos países europeus. Embora tenham uma tradição de neutralidade, Finlândia e Suécia pediram para aderir à Otan neste domingo, 15, e segunda, 16, motivados pelo ataque da Rússia à Ucrânia, que causou uma mudança na opinião pública dos dois países. Erdogan ainda afirmou que as delegações suecas e finlandesas não precisariam se preocupar em ir até a capital turca, Ancara, para tentar convencer seu governo a não vetar a adesão delas à organização.

Segundo o governo turco, o veto ocorreria por Suécia e Finlândia darem abrigo a membros do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK, na sigla em curdo), organização que considera como terrorista. O PKK luta para que os curdos, povo que ocupa áreas de Iraque, Síria, Turquia e Irã, tenha seu próprio Estado nacional, e tem braços políticos e armados. Erdogan chamou os países nórdicos de “hospedagens para organizações terroristas”, pediu que eles deixem de apoiar militantes curdos em seu território e na Síria, e suspendam as proibições de vendas de armas à Turquia. Além disso, Erdogan também é próximo de Vladimir Putin e seus países tem cooperação estratégica em algumas áreas, como energia nuclear, e o veto impediria que a Otan se aproximasse ainda mais da Rússia – a Finlândia compartilha uma fronteira de 1.300 quilômetros com o território governado por Moscou. A Rússia já havia reagido com irritação ao pedido dos países para a adesão. Por outro lado, o secretário-geral da Otan, Jen Stoltenberg, disse que o grupo poderia absorver as preocupações dos turcos e prosseguir para atender os pedidos, enquanto o secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, disse ter confiança de que chegarão a um consenso.

Jovem Pan

Suécia assina pedido formal de adesão à Otan e aguarda Finlândia

Foto: TT News Agency/via Reuters

A ministra das Relações Exteriores da Suécia, Ann Linde, assinou na manhã desta terça-feira (17) um pedido declarando a intenção do país em se juntar à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

A medida marca um passo formal do governo sueco para aderir à aliança militar liderada pelos Estados Unidos – encerrando décadas de neutralidade militar – à medida que a invasão da Ucrânia pela Rússia desencadeia uma evolução dramática na segurança e geopolítica europeias.

“Parece muito grande, muito sério, e parece que chegamos a uma conclusão que é a melhor para a Suécia”, disse Linde. “Não sabemos quanto tempo vai demorar, mas calculamos que pode levar até um ano”.

“Nsta semana, este pedido será apresentado, juntamente com a Finlândia, em um dia ou dois, e então será processado pela Otan”, declarou Linde.

CNN Brasil / BG

Mais de 120 mil potiguares ainda não entregaram a declaração do Imposto de Renda 2022

Foto: Reprodução

Faltando 2 semanas para o fim do prazo, a Receita Federal ainda aguarda quase 125 mil declarações do Imposto de Renda 2022 no Rio Grande do Norte. Até as 16h desta segunda-feira (16) foram 233.000 documentos entregues – cerca de 65% das 358 mil declarações esperadas este ano.

O prazo para enviar o documento sem multa termina em 31 de maio. O programa para fazer a declaração deve ser baixado no site da Receita Federal (clique aqui para acessar).

É obrigado a declarar IR em 2022:

  • quem recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2021. O valor é o mesmo da declaração do IR do ano passado;
  • contribuintes que receberam rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40 mil no ano passado;
  • quem obteve, em qualquer mês de 2021, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;
  • quem teve isenção de imposto sobre o ganho de capital na venda de imóveis residenciais, seguido de aquisição de outro imóvel residencial no prazo de 180 dias;
  • quem teve, em 2021, receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 em atividade rural;
  • quem tinha, até 31 de dezembro de 2021, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil;
  • quem passou para a condição de residente no Brasil em qualquer mês e se encontrava nessa condição até 31 de dezembro de 2021.

BG