Arrecadação de ICMS sobe 20% em agosto e RN tem melhor resultado desde o início da pandemia

Comércio no bairro Alecrim, na Zona Leste de Natal (Arquivo). Varejo foi um dos setores que tiveram alta no estado. — Foto: Pedro Vitorino/Cedida
Comércio no bairro Alecrim, na Zona Leste de Natal (Arquivo). Varejo foi um dos setores que tiveram alta no estado. — Foto: Pedro Vitorino/Cedida

A arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no Rio Grande do Norte apresentou crescimento de 20% em agosto, na comparação com o mesmo mês do ano passado. O volume recolhido foi de R$ 504 milhões frente aos R$ 495 milhões arrecadados em agosto de 2019. Em relação a julho, chegou a quase 20%. Esse foi o melhor resultado desde o início da pandemia, em março.

Para o governo, a alta indica uma volta gradual das atividades econômicas do estado, mas isso não foi suficiente para que fazer a arrecadação total do estado chegar aos patamares antes de antes da crise provocada pelo coronavírus.Arrecadação de ICMS no Rio Grande do Norte durante a pandemia da Covid-19Comparativo mês a mês com o ano de 2019Em milhões R$20192020marçoabrilmaiojunhojulhoagosto350375400425450475500525Fonte: SET/RN

A arrecadação total ficou 1,3% menor que em agosto de 2019, com um total recolhido de R$ 535 milhões. Quando comparados os meses de julho e agosto de 2020, o RN registra um incremento de 11,8% nessa arrecadação total.

O aumento no recolhimento do ICMS, que é a principal fonte da máquina pública estadual, foi beneficiado principalmente pelo desempenho do atacado e do varejo, que tiveram crescimentos de 26,1% e 11,7%, respectivamente, no comparativo com agosto de 2019. Em relação à julho deste ano, os maiores crescimentos foram nos setores de energia elétrica, que cresceu 43%, e na indústria, com um aumento de 34%.

Os dados são da 11ª edição do Boletim de Atividade Econômica, produzido mensalmente pela Secretaria Estadual de Tributação (SET-RN). O informativo com os dados da arrecadação de ICMS foi divulgado nesta segunda-feira (14).

“Iniciamos a retomada das atividades econômicas no momento oportuno, em que os indicadores sanitários estavam melhorando. Com isso, os indicadores econômicos começaram a subir, permitindo uma recuperação mais rápida da economia do quem tínhamos projetado no início do crise”, analisa o secretário de Tributação, Carlos Eduardo Xavier.

As empresas do Rio Grande do Norte atingiram em agosto um volume médio diário de negociações de R$ 313,1 milhões, com uma emissão diária de 919 mil documentos fiscais por dia. No mês anterior, esse valor foi de R$ 290,4 milhões e a média de emissões de 873 mil emissões de notas fiscais por dia.

No dia 19 de agosto, o secretário de Planejamento, Aldemir Freire, previu, com base na arrecadação da primeira quinzena, um aumento na arrecadação em agosto, após cinco meses de queda.

G1RN

Leave a Comment