Bolsonaro é transferido para São Paulo

Resultado de imagem para Bolsonaro
Foto: da Internet

O candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) deixou a Santa Casa de Juiz de Fora (MG) por volta das 8h20 desta sexta-feira (7) em direção ao Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. A transferência ocorreu cerca de 12 horas após ele ser operado depois de ser esfaqueado em uma atividade de campanha na cidade mineira.

De Congonhas, Bolsonaro foi levado em um helicóptero da PM de São Paulo até o Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista e vizinho ao hospital. De lá, ele foi levado em uma ambulância até o Albert Einstein.

Desde a noite de quinta-feira (6), equipes dos hospitais Sírio Libanês, também de São Paulo, e Albert Einstein estiveram na Santa Casa e avaliaram a possível transferência.

A mudança de local já era prevista, mas não foi informada à imprensa com antecedência. Até ontem à noite, os médicos diziam que não havia previsão de transferência uma vez que era necessário estabilizar o quadro de saúde de Bolsonaro.

Segundo Eunice Dantas, diretora técnica da Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora, a decisão da transferência foi da família, mas não houve qualquer divergência com a equipe médica. Ela afirmou que os profissionais avaliaram em conjunto que não haveria riscos em transferi-lo hoje pela manhã.

“Assim que ele teve condição clínica, a transferência foi realizada. Sem nenhum risco para o deputado. Ele teve uma condução muito boa do caso e a cirurgia foi muito bem feita”, explicou.

Um dos filhos de Bolsonaro, o candidato ao Senado pelo Rio de Janeiro Flávio Bolsonaro (PSL), disse que o pai deixou o hospital em Juiz de Fora com bom humor.

“Ele saiu bem e, mais uma vez, bem-humorado, rindo e dando sinal de positivo. Graças a Deus o pior não aconteceu. Vamos avaliar os próximos passos agora junto com a família e a equipe”, disse.

Na versão dele, a família considerou que a transferência para o Albert Einstein foi considerada a melhor opção. Outros hospitais também ofereceram atendimento, como o Sírio Libanês e a rede Dor.

Pouco antes da transferência, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), outro filho do presidenciável, afirmou que o pai estava corado e mais lúcido do que o dia anterior.

“Ele acordou e está conversando um pouco melhor do que ontem. Está mais corado e falando melhor”, disse Eduardo.

Questionado se o pai tinha alguma lembrança do ataque, ele respondeu que, logo após ser agredido, o presidenciável pensava se tratar de “um soco muito forte no estômago”.

 

Fonte: https://noticias.uol.com.br/politica/eleicoes/2018/noticias/2018/09/07/bolsonaro-e-transferido-para-sao-paulo.htm