Ceará convoca 1,2 mil policiais militares da reserva para reforçar combate à onda de violência

Ceará vai convocar 1,2 mil policiais da reserva para reforçar o combate a facções criminosas — Foto: Fernanda Siebra/SVM
Ceará vai convocar 1,2 mil policiais da reserva para reforçar o combate a facções criminosas — Foto: Fernanda Siebra/SVM

O Governo do Ceará vai convocar 1,2 mil policiais militares da reserva para reforçar o combate aos ataques coordenados por facções criminosas no estado. A convocação é possível após aprovação de lei na Assembleia Legislativa, em sessão extraordinária nesse sábado (12), durante o recesso parlamentar. Além dos PMs, o Ceará rebecerá um reforço de mais de 350 policiais rodoviários federais.

“É importante esclarecer que são aqueles policiais que foram para a reserva nos últimos cinco anos, não são de tanto tempo. É uma ação de curto prazo. A gente vai fazer uma avaliação da parte médica e física e destinar quais atividades. Um exemplo é que a gente está tendo a necessidade de ocupar alguns pontos, que não é do dia a dia da Polícia, e a gente pode ocupar com esses policiais”, disse o secretário da Segurança Pública, André Costa, em entrevista nesta segunda-feira (14).

Os policiais da reserva vão atuar no combate a ações de facções criminosas cujos chefes ordenaram, de dentro dos presídios, a sequência de mais de 200 ataques em 44 municípios do Ceará.

Além de convocar policiais aposentados, o pacote aprovado na Assembleia inclui as seguintes medidas:

  • Lei da Recompensa, que paga em dinheiro quem denunciar autores de ataques ou fornecer informações que possam prevenir crimes;
  • Retirada das tomadas em celas de presídios, para evitar que criminosos possam usar carregadores de celular;
  • Aumento de 48 para 84 o máximo de horas extras que policiais civis, militares e bombeiros podem fazer por mês;
  • Restrição da presença de pessoas no entorno dos presídios, com objetivo de evitar fugas.

G1