Chuvas deixam 16 mil desabrigados e 58 cidades alagadas na Bahia e 18 pessoas mortas

As chuvas que atingem municípios da Bahia desde o início de dezembro têm causado caos no sul do estado. Às vésperas do Natal, os temporais voltaram na região e fizeram o governo Bolsonaro criar uma força-tarefa junto ao governo da Bahia, senadores, secretários estaduais e municipais para discutir ações de socorro
Foto do R7

O número de desabrigados por causa das enchentes na Bahia já supera 16 mil pessoas, de acordo com os dados da Sudec (Superintendência de Proteção e Defesa Civil da Bahia), divulgados na tarde deste dominigo (26). As fortes chuvas que castigaram as regiões sul e sudeste do estado deixaram ainda 19.580 desalojados, dois desaparecidos e 18 mortos.

São 72 municípios em situação de emergência reconhecida pelo governo do estado. Desse total, 58 cidades estão também em situação de crise por causa das enchentes. Foram registrados 286 feridos e a população afetada é estimada em 430.869 pessoas.

A divulgação dos números ocorreu durante reunião de monitoramento e alinhamento, realizada na base de apoio às vítimas das chuvas, montada em Ilhéus, na região sul, no fim da tarde deste domingo (26).

Participaram da reunião o governador Rui Costa, o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Adson Marchesini, o superintendente da Defesa Civil do Estado, coronel Carlos Miguel de Almeida filho, e outras autoridades e representantes dos órgãos de apoio e socorro às cidades afetadas.

No começo do mês a região já havia sido castigada pelas chuvas, que voltaram às localidades desde quinta-feira (23), com maior intensidade na sexta-feira (24) e no sábado (25). A Prefeitura de Itambé, no sudeste baiano, divulgou alerta na noite deste sábado por causa do rompimento de uma barragem com alto volume de água na região. O comunicado pediu que moradores da margem do rio Verruga fossem retirados com urgência. Em Jussiape, a cerca de 230 quilômetros, outra barragem se rompeu.

As chuvas que atingem municípios da Bahia desde o início de dezembro têm causado caos no sul do estado. Às vésperas do Natal, os temporais voltaram na região e fizeram o governo Bolsonaro criar uma força-tarefa junto ao governo da Bahia, senadores, secretários estaduais e municipais para discutir ações de socorro.

R7