Comissão discute aporte de recursos para setor de ciência e tecnologia do Estado

Crédito da Foto: João Gilberto
Por proposição do deputado Hermano Morais (PMDB), a Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia, Desenvolvimento Econômico e Social fez nesta quarta-feira (7) uma reunião com a presença de representantes de Universidades Públicas, Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado, da Universidade Estadual e do Instituto Federal do Rio Grande do Norte para discussão de recursos necessários para os programas de desenvolvimento tecnológico.

“O nosso Estado está perdendo recursos pela falta de contrapartida das parcerias com instituições que financiam projetos na área de ciência e tecnologia. O orçamento para o setor não é cumprido. Queremos reverter esse quadro, pois o Rio Grande do Norte tem um potencial muito grande para ser desenvolvido. Através do conhecimento se consegue reiquezas”, afirmou o deputado Hermano Morais.

De acordo com o deputado Fernando Mineiro (PT) que presidiu a reunião nos últimos cinco anos só foram executados pouco mais de R$ 27 milhões, quando o orçado no mesmo período foram orçados para o setor mais de R$ 253 milhões.

“Os recursos liberados nesses cincos anos foram muito poucos. Ficamos perdidos. No orçamento geral do Estado para este ano estão previstos R$ 12 milhões e até agora nada foi executado. Estamos retomando o papel da Assembleia Legislativa discutindo com as instituições da área, para que haja aporte de recursos para que os projetos não fiquem parados nem o Estado perca seus cientistas para outros estados”, afirmou Fernando Mineiro.

A coordenadora do Fórum de Reitores das Universidades Públicas do RN, professora Ângela Paiva Cruz disse que o Estado não tem valorizado o seu potencial de doutores e fez uma advertência: a indigência vai piorar se o Estado não valorizar esse potencial.

O presidente da FAPERN, professor Uilame Umbelino disse que o Estado, em crise financeira leva ao corte nesses setores. Segundo ele, Ciência e Tecnologia não podem ficar sem investimento. “São investimentos para o futuro, Não podemos perder os recursos de projetos contratados. Temos que lutar pelo desenvolvimento”, disse.

Ao final ficou decidido que na quinta-feira (22) será realizada uma audiência pública para o aprofundamento das discussões sobre a necessidade de liberação de recursos. Outro encaminhamento é uma reunião com o relator da Lei de Diretrizes Orçamentárias, deputado José Dias (PSDB) para a colocação de emendas. Depois disso, o próximo passo é incluir recursos na Lei Orçamentária para 2018.

Participaram da reunião os deputados Fernando Mineiro, Hermano Morais e Cristiane Dantas (PCdoB), a reitora da UFRN   , Ângela Paiva; o reitor em exercício da UERN, Aldo Gondim; o pró-reitor de Pesquisa da UERN, Vander Mendonça, o presidente da FAPERN, Uilame Umbelino; o vice-reitor do IFRN, Marcos Antônio Oliveira, Vice-reitor da UFRN, José Daniel Diniz; pró-reitor de Pós-graduação Rubens Maribondo e o diretor administrativo da FAPERN, Paulo Waldemiro.

Assessoria