Dnit declara situação de emergência na Ponte de Igapó, em Natal

Há 29 anos sem manutenção, Ponte de Igapó foi avaliada por técnicos do Crea em 2018 — Foto: Reprodução/Flávio Muniz/Inter TV Cabugi

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Trânsito (Dnit) declarou situação de emergência na Ponte Presidente Costa e Silva, mais conhecida como Ponte de Igapó, que passa sobre o Rio Potengi ligando as zonas Norte e Oeste de Natal. O ato foi publicado nesta sexta-feira (8) no Diário Oficial da União, apesar de ter sido assinado no dia 1º de março. Mesmo com a declaração, a ponte continua com tráfego aberto aos veículos.

No documento, o superintendente regional substituto do Dnit no Rio Grande do Norte, Danyel Flávio Lopes de Paiva ratificou uma declaração da situação de emergência feita pela coordenação de engenharia do órgão.

Os técnicos constataram comprometimento estrutural de pilares e vigas da estrutura. Do lado direito da ponte, foram notificados problemas em pelo menos 11 pilares, além de trechos de 1 metro das vigas entre os pilares P3 e P4, entre os pilares P4 e P5 e entre o pilar P16 e o encontro E2.

Do lado esquerdo da ponte, chamaram atenção dos técnicos trechos de 2 metros das vigas longitudinais de extremidade do tabuleiro ferroviário, “nos pontos próximos aos apoios entre os pilares P9 e P10, entre os pilares P10 e P11, entre os pilares P11 e P12, entre os pilares P12 e P13 e entre os pilares P13 e P14”.

G1 procurou o Dnit nesta sexta-feira (8). Segundo a assessoria do órgão, a situação de emergência será explicada em uma nota que será divulgada ao longo do dia.

Em fevereiro, o órgão informou que a situação da ponte estava sendo tratada com a mais alta prioridade e as intervenções de recuperação e reforço da estrutura ocorreriam com a maior brevidade possível.

Ainda de acordo com a nota da, o Dnit estava realizando uma adequação do projeto e orçamento necessários para realização de uma licitação que seria lançada neste mês. Ainda de acordo com a nota emitida naquela ocasião, a ponte havia passado por inspeção e concluiu-se que a estrutura não corria risco de ruir.

Em maio do ano passado, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea) constatou problemas estruturais na ponte. O Crea realizou uma vistoria e identificou a corrosão das vigas de sustentação da estrutura, e uma ferrugem acentuada, mas considerou que não era possível dizer se a estrutura tinha risco de desabamento.

Com 606 metros de extensão e 12 metros e meio de largura, a Ponte de Igapó recebe, diariamente, cerca de 80 mil veículos, 37 linhas de ônibus e 13 viagens de VLT. A última manutenção na Ponte de Igapó foi realizada em 1990. De lá pra cá, os moradores não têm conhecimento de nenhum reparo feito na estrutura.

Fonte: https://g1.globo.com