Fãs prestam homenagens a George Michael na Inglaterra

A segunda-feira, 26, começou triste para os fãs de George Michael, que morreu neste domingo de Natal aos 53 anos por insuficiência cardíaca. Admiradores do artista fizeram questão de prestar suas últimas homenagens e deixaram flores e acenderam velas na porta da casa do cantor, na Inglaterra. Segundo informações do jornal britânico “The Mirror”, desde cedo pessoas estão fazendo uma vigília no local como forma de tributo a George.

EGO NAS REDES SOCIAIS
A morte

Michael Lippman, representante e amigo de longa data do artista, informou a causa da morte –  insuficiência cardíaca – ao site “The Hollywood Reporter”. Lipmann também informou que amorte ocorreu “pacificamente” enquanto ele dormia em casa, no condado de Oxfordshire, na Inglaterra.

“É com grande tristeza que confirmamos que nosso amado filho, irmão e amigo George morreu em paz e em casa durante o Natal. A família pede que sua privacidade seja respeitada neste momento difícil e emocional. Não haverá mais nenhum comentário sobre o assunto”, informou o representante.

Leia também: Elton John lamenta morte de George Michael: ‘Estou em profundo choque’

George Michael em maio de 2011 (Foto: Leon Neal / AFP)
George Michael /2011/Foto: Leon Neal

Trajetória musical
Michael, cujo nome real era Georgios Kyriacos Panayiotou, nasceu em 25 de junho de 1963 em East Finchley, norte de Londres. Filho de um restaurateur e uma mãe bailarina, teve seu primeiro contato com a música trabalhando como DJ em pequenos clubes.

Já na adolescência, se interessou pela música e começou a tocar ska com o amigo de escola Andrew Ridgeley. Na primeira metade dos anos 1980, os dois criaram o duo pop Wham!, que daria o pontapé inicial na carreira de George Michael, com hits como “Young Guns”, “Wake Me Up Before You Go-Go” e “Careless Whisper”. Eles seguiram a parceria até 1986, vendendo mais de 25 milhões de discos.

Michael decidiu seguir carreira solo quando a banda Wham! ainda estava no auge do sucesso internacional. Em 1987, lançou “Faith”, seu primeiro disco solo, que tinha ainda hits como “Father Figure” e “Kissing a Fool”. Os videclipes do álbum exploravam a sensualidade e foram responsáveis por tornar Michael como um sex symbol dos anos 1980.

Ao longo de suas quatro décadas de carreira, chegou a vender mais de cem milhões de discos. Entre as premiações, levou três Brit Awards e duas vezes o Grammy. Recentemente ele chegou a anunciar que estava trabalhando em um novo álbum com o produtor e compositor Naughty Boy. Em março de 2017, planejava lançar um documentário batizado de “Freedom”.

Fonte: http://ego.globo.com/famosos/noticia/2016/12/fas-prestam-homenagens-george-michael-na-inglaterra.html