Hang confirma contas no exterior e nega ter financiado fake news; após tumulto, sessão é suspensa

Convocação do bolsonarista dividiu os senadores do G7, que temem que sessão seja marcada por tumultos

CPI da Covid-19 ouve, nesta quarta-feira, 29, o empresário bolsonarista Luciano Hang. A convocação atende a um pedido do relator da comissão, Renan Calheiros (MDB-AL). O dono da rede de lojas Havan será questionado sobre o financiamento de notícias falsas sobre a pandemia do novo coronavírus, o incentivo ao chamado “tratamento precoce” e o caso envolvendo a sua mãe, Regina Hang.

Segundo informações em posse dos membros do colegiado, ela recebeu medicamentos do “kit-Covid” e morreu por complicações causadas pela doença no hospital Sancta Maggiore, que integra a rede da operadora de saúde Prevent Senior.

Os parlamentares dizem ter elementos que comprovam que o atestado de óbito de Regina foi manipulado para omitir informações. Em um vídeo divulgado em suas redes sociais, Hang não fez menção ao uso de fármacos comprovadamente ineficazes, mas afirma que a mãe poderia ter sido salva se tivesse feito “tratamento preventivo”.

Como a Jovem Pan mostrou, a presença do empresário no Senado dividiu os senadores do grupo majoritário, o G7, que temem que a sessão seja marcada por tumultos e sirva de palanque para o depoente. Em uma publicação em seu perfil no Instagram, Hang afirmou que está “tranquilo” porque tem “a verdade” ao seu lado. “Todas as acusações a meu respeito são mentirosas e não existem provas contra mim”, disse. Na gravação, ele também provoca Renan Calheiros, relembrando as investigações envolvendo o alagoano.

Jovem Pan

Leave a Comment