Lula crítica Bolsonaro por aproximação com “centrão”, mas quer apoio dos mesmos para campanha de 2022

Foto da Internet

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que nesta terça-feira (27) criticou a aproximação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) com o centrão, também flerta com partidos do bloco para alianças nas eleições de 2022, mas petistas buscam diferenciar os movimentos de ambos.

Líder nas pesquisas de intenção de voto, Lula ironizou a postura do rival —que entregou a Casa Civil a um expoente do centrão, o senador Ciro Nogueira (PP-PI)— e apontou contradição entre o discurso de Bolsonaro na campanha de 2018 e o que faz como titular do Executivo.

“E o Bolsonaro que ficava falando que ia acabar com ‘a velha política’. Qual é a nova política do Bolsonaro? Ficar refém do centrão? […] É isso que é a nova política? O Bolsonaro não cumpriu uma [só] coisa que ele falou”, afirmou à Rádio Difusora de Goiás o petista, que repetiu as declarações em redes sociais.

O PT governou com o apoio do centrão no Congresso e só perdeu a sustentação às vésperas do impeachment da presidente Dilma Rousseff, em 2016, quando os aliados, mesmo com cargos e verbas, desembarcaram da aliança. Legendas do grupo ainda votaram pela saída da mandatária.

Folhapress / BG