Lula volta a Curitiba pela primeira vez desde que foi libertado

Foto: Twitter

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pré-candidato do PT à sucessão do presidente Jair Bolsonaro (PL), voltará nesta sexta-feira (18) a Curitiba pela primeira vez desde novembro de 2019, quando deixou a carceragem da Polícia Federal na capital do Paraná após passar 580 dias preso.

Lula cumpria a sentença de condenação por corrupção e lavagem de dinheiro imposta pelo ex-juiz federal Sergio Moro, em processos da Operação Lava Jato que terminariam anulados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por suspeição do magistrado. Moro logo depois viraria ministro de Bolsonaro e hoje se apresenta como possível rival do petista e de seu ex-chefe no governo na corrida pelo Palácio do Planalto marcada para outubro.

O petista foi libertado antes da declaração de suspeição de Moro, quando o STF mudou seu entendimento e passou a rejeitar o cumprimento da pena já após condenação em segunda instância.

No Paraná, o ex-presidente vai participar de dois grandes atos políticos com foco nas eleições deste ano: em Curitiba, nesta sexta, vai abonar a filiação do ex-governador Roberto Requião ao PT, num evento que deve reunir milhares de militantes de todo o estado e de Santa Catarina. Requião será o candidato do partido ao governo do estado.

No sábado (19), Lula vai a Londrina, onde visitará um assentamento do Movimento dos Sem-Terra (MST), uma área que ele mesmo criou em 2009, quando estava no segundo mandato na Presidência da República. Lá, o ex-presidente reencontrará parte do grupo que participou da chamada Vigília Lula Livre, um acampamento que acompanhou, junto ao prédio da superintendência da PF, todos os dias de sua prisão, com pedidos incessantes de liberdade para o petista.

Metrópoles