Manuela D’Avila prestou depoimento na ação contra os hackers

Manuela diz não saber por que foi procurada por hacker

Em depoimento terça-feira (07) na ação contra os hackers que roubaram as mensagens da Lava Jato, a ex-deputada Manuela D’Ávila disse não saber o motivo pelo qual foi procurada, no ano passado, por Walter Delgatti, que inicialmente estava interessado em repassar a ela o material.

“Não tenho absoluta ideia. Por escrito ele respondeu que eu devia lutar como uma garota. Talvez o senhor vincule isso a frase que eu usava na minha camiseta durante o processo eleitoral. E que tentou procurar as outras pessoas e eu fui aquela que respondeu. Talvez por ser a pessoa que estava esperando a família chegar em casa no Dia das Mães e estava com o celular em mãos”, disse.

No depoimento, Manuela relembrou que recebeu primeiro uma mensagem do celular de Cid Gomes, contato que foi invadido por Walter Delgatti para falar com ela. Depois ele passou a comunicar por meio de outro número, dizendo que tinha a intenção de “ajudar o país e livrar o país da corrupção”.

A ex-deputada disse que indicou então o nome de Glenn Greenwald quando Delgatti contou que tinha informações sobre membros da Lava Jato. “Sugeri que não passasse as informações para mim, mas para jornalista mais gabaritado”, afirmou.

Manuela afirmou que nunca viu Delgatti ou outros membros do grupo pessoalmente e que a invasão de seu celular não lhe causou dano.


O Antagonista