Militares do RN discutem equiparação salarial em assembleia

Foto: Magnus Nascimento

Policiais e militares do Corpo de Bombeiros do Rio Grande do Norte promovem, nesta quinta-feira (10), uma Assembleia Geral para discutir as reivindicações da categoria. Os militares cobram do Governo do RN a retomada das discussões sobre a equiparação salarial entre os servidores da segurança pública do Estado.

Segundo a presidente da Associação de Subtenentes e Sargentos, subtenente Márcia Carvalho, essa foi a pauta prioritária decidida em conjunto com os militares estaduais após reuniões realizadas desde fevereiro no interior do RN. Essa equiparação salarial, segundo Carvalho, foi acordada com o Governo do Estado em 2019, quando o Executivo promoveu reajuste escalonado de 23% para os militares.

“Diante das assembleias realizadas em Currais Novos, Caicó, Pau dos Ferros, Patu, Mossoró e Assu, notamos que a categoria está unida para agirmos em busca da equiparação salarial que nos foi prometida em 2019, e até hoje vem sendo ignorada pelo Governo”, afirma a presidente da Associação, reforçando que a categoria não descarta nenhuma possibilidade de reação caso não seja alcançada uma negociação satisfatória com o Executivo.

O reajuste do Governo do Estado foi dado em novembro de 2019, após longa negociação entre policiais e representantes do Executivo. À época, o aumento previsto era de 23%, sendo parcelado em seis vezes, de forma gradativa, até novembro de 2022.

Os militares estão reunidos na sede da Associação, no Clube Tiradentes, no Bairro do Alecrim. A perspectiva é de que os militares saiam em caminhada até o Centro Administrativo para encontro com a governadora Fátima Bezerra (PT).

Tribuna do Norte / BG