Pastor Elinaldo Renovato poderá ser presidente da IEADERN

540x350_capa-att
Pastor Elinaldo Renovato de Lima é o preferido de todos os membros da IEADERN para assumir a presidência em uma nova eleição.

O pastor Elinaldo Renovato de Lima, um dos maiores pilares da fé cristã na Igreja Evangélica Assembleia de Deus no Estado do Rio Grande do Norte – IEADERN – poderá ser o novo presidente da referida organização religiosa.

Isto é o que comentam alguns pastores, pelos bastidores, onde podem conversar livremente, sem sofrer as perseguições daqueles que estão no poder, no atual momento.

Por outro lado, há comentários de que o pastor Elinaldo não deseja essa função, por está bem na cidade de Parnamirim/RN, e por causa da enfermidade de sua esposa. Podendo dificultar sua possível administração como presidente. Mas, dizem também que ele faz a seguinte afirmação: “Se for à vontade de Deus, estou à disposição Dele.” Não ficando por completo o descarte dessa possibilidade, o de ser presidente da IEADERN.

Enquanto isso, o pastor Ivan Gonçalves, que ficou em segundo lugar nas eleições de 2012, e faz campanha pelo RN a fora para ser candidato em uma nova eleição, ele sabe da dificuldade que a IEADERN passa, e que é preciso um nome mais coeso para apaziguar os ânimos entre os pastores. As informações dão conta de que ele está disposto a se desprender de seu desejo. “Se Deus disser que eu deva parar, eu paro, não sou apegado a nem uma função.” Diz o pastor Ivan aos seus companheiros.

pr-ivan5
Panfleto da campanha de 2012.
Reverendo Cícero Miranda/Mossoró-RN
Pr.  Cícero Miranda/Mossoró-RN

Também está espalhado aos quatro cantos do Estado, o último discurso do pastor Francisco Cícero Miranda, outro grande líder da IEADERN, quando em pleno culto da ceia, neste dezembro, reclamou que os pastores devem se preocupar em pregar a palavra de Deus, invés de ficar se importando com usos e costumes. É possível que esse discurso tenha sido por causa das medidas que o pastor Martim Alves vem fazendo, em perseguir as irmãs que se arrumam com mais cuidados e se preocupam um pouco mais com a beleza. “O Espírito Santo é quem cuida dessas coisas”. Disse o reverendo Cícero Miranda, presidente do campo de Mossoró.

Quanto ao pastor Elinaldo Renovato, há afirmações de que ele seria o indicado do presidente Raimundo João de Santana (In memória), como também era o nome da vontade do pastor José Wellington Bezerra, presidente da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil – CGADB -. Mas por causa de um tumultuo causado para forçar a renúncia do saudoso pastor Raimundo João de Santana, Elinaldo preferiu se resguardar. Até mesmo, no dia da eleição, em fevereiro de 2012, não compareceu para manifestar seu voto a favor de nem um dos postulantes.

O PROCESSO NA JUSTIÇA

O que pode abrir espaço para uma nova eleição, em breve, é um processo que está em evidência, a todo vapor, contra uma Ata que foi falsificada com o intuito de destituir o pastor Raimundo Santana. Nesta o mandato da diretoria teria sido prorrogado até 10 de Abril de 2012, em uma fictícia Assembleia Geral, por não ter ocorrido, como evidencia os vícios do documento em litígio, que teria ocorrido na noite de 23 de dezembro de 2011.

Na referida Ata, não há assinatura do segundo secretário, pastor Adelmo Ribeiro, que também afirma em declaração já apresentada nos autos, de que ele, Adelmo, nunca confeccionou tal Ata como diz o documento apócrifo. Há também uma assinatura do presidente Raimundo João de Santana (in memoria) incompatível com a sua caligrafia do momento, podendo ser considerada falsa.

img_20160111_111433225
Declaração do pastor Adelmo Ribeiro que evidencia que a Ata de 23.12.2011 é falsa
2016-12-23-10-23-14
Assinatura legítima do pastor Raimundo João de Santana em Ata de 2010.
2016-12-23-10-22-46
Vejam a diferença da caligrafia de uma suposta assinatura do pastor Santana, em Ata de 23.12.2011

Ademais, aconteceu que, naquele dia, 23 de dezembro de 2011, pela manhã, os pastores se reuniram em Assembleia Ministerial, Conselho Deliberativo, e na reunião, o pastor Carlos Lorenzetti aconselhou que mudassem a AGO que aconteceria na noite daquele mesmo dia, para o dia 10 de fevereiro de 2012, o que foi aprovado por todos. Isto está registrado em Ata da Assembleia Ministerial. (Também está nos autos)

Então, fica a pergunta: se adiaram a AGO para 10 de fevereiro de 2012, como podem agora apresentar uma Ata, mal confeccionada, com data da AGO, que supostamente havia acontecido na noite de 23 de dezembro de 2011? Ela havia sido adiada pelos pastores ainda pela manhã. Então o documento questionado em juízo é de fato um documento falso.

img_20150713_132856736
parte do texto da Ata da Assembleia Ministerial do dia 23.12.2011, pela manhã.

Entretanto, por lei, só quem pode deliberar quanto à diretoria é a Assembleia Geral. Mas assim fizeram, por isso não houve a referida AGO que aconteceria naquela noite. Todos os pastores foram embora, ficando presentes apenas poucos membros, e os pastores Elinaldo Renovato, Adelmo Ribeiro, Israel Caldas e o pastor Estevam. Mais de trezentos pastores foram embora certos de que a AGO não aconteceria na noite de 23 de dezembro de 2011, como não aconteceu. Até o próprio presidente atual, o pastor Martim Alves da Silva foi embora pra cidade de Mossoró, onde era pastor.

A morosidade da justiça pode fazer alguns acreditarem que essa questão pode ficar sem solução. Mas em breve o juiz se pronunciará e determinará uma nova eleição na IEADERN. Até porque já foi pedido que as partes apresentassem as testemunhas para audiência de instrução. A parte autora apresentou seis pastores como testemunhas. Todos cientes de que houve erros no processo eleitoral. Ademais a Assembleia Geral que aconteceu no Ginásio Nélio Dias, da posse do pastor Martim Alves da Silva, no dia 03 de  março de 2012, não foi registrada em cartório oficial como deveria ter sido, de acordo com a lei.

2016-12-23-10-13-38-sshajs
Certidão que prova que a posse do pastor Martim Alves não foi registrado em cartório.

O PODER DOS MINISTROS DA IEADERN

Querendo, os ministros da IEADERN podem resolver esse impasse de forma extrajudicial, em reunião na sede da IEADERN. A Bíblia diz que a igreja irá julgar os anjos. Logo, julgar uma situação como a que já foi exposta, e que já está obvio de que houve intenção de danificar a boa história da IEADERN, é dever dos senhores ministros. Acredita este subscritor.
São muitos erros na administração do pastor Martim Alves da Silva, e o estatuto diz que quando o presidente infringe as Escrituras Sagradas e os regulamentos neste exposto, deve ser feita comissão para investigar e julgar a causa. O presidente deve ser afastado, e comprovado os fatos, deve haver no prazo de noventa dias nova eleição.

FALTAS GRAVE DO ATUAL PRESIDENTE

Conduziu ao juízo criminal um membro e diácono da igreja, transgredindo o que aconselhou o apóstolo Paulo, quando diz que não se deve levar seu irmão à justiça dos homens, salvo o da igreja, e ainda, depois não deu esclarecimento oficial do resultado aos seus pares (talvez pelo fato de não ter alcançado sucesso de seus intentos); o segundo, é o que diz alguns pastores que fizeram parte do Conselho Fiscal, que o pastor Martim Alves ordenou a um Co-pastor, bem próximo dele, a adentrar na reunião do Conselho Fiscal, eleito para conferir as contas de 2012/2013, para que esse induzisse os conselheiros a mudarem os números econômicos, os constrangendo a apresentar parecer favorável, quando o parecer era contrário ao desempenho  econômico do atual administração. Com isso, adulterou os dados das contas que foram apresentadas, na época, enganando as Assembleias Ministerial e Geral. Coisa que pode ser anulado por maioria dos membros da Assembleia Ministerial. Erros esses dignos de ser averiguado pelos lideres maiores da igreja.

É o mínimo que se espera de uma igreja que está para completar seus cem anos no estado do Rio Grande do Norte.

Por Laurivan de Sousa