Polícia Federal confirma acordo de delação premiada com piloto preso por morte de líderes de facção no Ceará

Helicóptero usado na operação que assassinou 'Gegê do Mangue' e 'Paca' — Foto: Divulgação
Helicóptero usado na operação que assassinou ‘Gegê do Mangue’ e ‘Paca’ — Foto: Divulgação

A Polícia Federal (PF) confirmou ter realizado um acordo de delação premiada com o piloto Felipe Ramos Morais, acusado de participar dos assassinatos dos líderes de uma facção criminosa, Rogério Jeremias de Simone, o ‘Gegê do Mangue’, e Fabiano Alves de Souza, o ‘Paca’, no Ceará, em fevereiro de 2018. Os dois foram executados a tiros em uma aldeia indígena, em Aquiraz, na Grande Fortaleza. Dez pessoas foram acusadas pelo crime, das quais cinco foram presas. Já o Ministério Público do Ceará (MPCE) manteve a negativa de ter celebrado acordo com Felipe.

A defesa do piloto sustenta o acordo com o MP. Em documento enviado à 1ª Vara da Comarca de Aquiraz, da Justiça do Ceará, a advogada Mariza Morais afirma que “a prisão do réu, serviu para forçar um acordo e obtenção de informações, trama engendrada pelo Ministério Público do CE, com o máximo de perversidade com o réu, que apenas queria responder ao processo em liberdade. O Colegiado de Aquiraz-CE teve conhecimento do acordo, pois esta patrona em posse de cópia do acordo esteve com o colegiado mostrando aos mesmos, que aguardavam a entrega oficial pelo MP”.

Em relação à PF, o acordo foi confirmado em ofício enviado pelo delegado federal Rafael Machado Caldeira ao juiz federal da 5ª Vara Criminal de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, no dia 24 de julho deste ano. O documento foi anexado ao processo do duplo homicídio somente no último dia 22 de outubro.

Segundo o ofício, o piloto prestou informações que auxiliam a PF em outras investigações pelo país, sem relação direta com as mortes de ‘Gegê’ e ‘Paca’.

O delegado, hoje lotado na Superintendência Regional da Polícia Federal em Minas Gerais, relata no ofício que, na época em que atuava como coordenador da Força Tarefa de Combate às Facções Criminosas no Estado do Ceará (FT/CE), se reuniu com membros do Ministério Público Federal (MPF), do MPCE e da Polícia Civil do Ceará (PCCE). com o piloto e com a advogada e mãe dele, Mariza Ramos Morais, em julho de 2018.

G1CE

Leave a Comment