Rodrigo Maia e Eunício Oliveira tentam empurrar reforma da previdência para o governo Bolsonaro

Resultado de imagem para Rodrigo Maia e Eunício
Marcelo Camargo/Agência Brasil

Os presidentes do Congresso Nacional, Eunício Oliveira (MDB-CE) e Rodrigo Maia (DEM-RJ), segundo notícias nas Tvs e no Folha de São Paulo, estão arquitetando empurrar a reforma da previdência para o futuro governo de Jair Messias Bolsonaro (PSL) com o objetivo de tentarem algum acordo político partidário.

Eles tentam emparedar o presidente eleito como costume da velha política. Rodrigo Maia tenta de novo ser reeleito presidente da Câmara Federal, e como é possível que não ganhe, está cogitando programar prejuízo ao novo governo. Mesmo fazendo declarações aparentemente a favor.

“Se você olhar o que se tentou com esse Parlamento e não se avançou, a probabilidade maior é essa, mas eu tento nesse tema ser otimista”, disse Rodrigo – ele declara a incompetência para presidir. Mas ele diz que pode-se votar a reforma com a intervenção no Rio, diz que a questão é de interpretação, já que há uma intervenção apenas em uma pasta da segurança pública de uma Unidade da Federação (RJ), o que não é impedimento. Isso na interpretação do presidente da Câmara.

Já Eunício Oliveira aponta que quem deve encaminhar a reforma para o Congresso é o presidente eleito. O que não é verdade, já que Temer é o presidente até 31 de dezembro.

“A Reforma tem que ser encaminhada pelo presidente eleito, por sua equipe, traduzindo qual o sentimento que veio das ruas”. Afirmou o presidente do senado que também perdeu a reeleição.

A reforma é necessária e dolorosa, e Bolsonaro tenta diminuir a dor do trabalhador mais pobre do Brasil. Ele sugere ser encaminhado pelo governo Temer o que pode ser aprovado, diminuindo as dificuldades para todos.

 

 

 

Leave a Comment