Servidores da ALRN são capacitados para práticas de gestão de processos

A equipe de planejamento da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte iniciou nesta terça-feira (23) uma oficina de capacitação técnica em boas práticas em gestão de processos, através de videoconferência, reunindo todos os setores do legislativo para implantação da iniciativa estratégica prevista no “Horizonte 2023 da ALRN”.

Os servidores terão, durante 32 horas, orientações gerais sobre práticas de gestão de processos, exercitação das funcionalidades da ferramenta Bizagi Modeler, elaboração e apresentação de metodologia de gestão de processos da ALRN, com avaliação e encerramento do projeto ao final.

Conduzida pela consultora Paulinéa Araújo (servidora da Justiça Eleitoral), a oficina busca capacitar o servidor a compreender a importância da adoção de instrumentos, técnicas e ferramentas no gerenciamento de processos, em busca da geração de valor para o cliente, com base nas boas práticas preconizadas internacionalmente e nos modelos aplicados no âmbito da Administração Pública, além de propor e manualizar a Gestão de Processos na ALRN.

Tudo isto dentro de um cenário de uma sociedade cada vez mais exigente, fiscalizações dos órgãos de controle, limitações orçamentárias crescentes, déficit de pessoal no setor público, conhecimento insuficiente sobre governança x gestão, alocação de servidores sem critérios objetivos e conhecimento acumulado “na cabeça das pessoas”. Gerenciar processos, reforça Paulinéa Araújo, constitui uma nova forma de visualizar as operações da organização, indo além de estruturas funcionais tradicionais. “Compreende todo o trabalho executado para entregar um produto, serviço ou resultado do processo, independendo de quais áreas estão envolvidas”, explicou.

Com a denominação de “Horizonte 2023 da ALRN”, o plano estratégico contempla a definição da visão de futuro até 2023 e dos macrodesafios (objetivos estratégicos) que nortearão as ações da Assembleia Legislativa no próximo quadriênio. O plano elaborado teve como base o levantamento dos cenários interno e externo e definição dos principias problemas identificados ao longo da elaboração do documento, com metas para serem alcançadas nos próximos quatro anos. Compõem o documento 68 iniciativas estratégicas, 28 indicadores e metas, 18 iniciativas específicas e 1 Projeto Institucional.