Últimas notícias dos conflitos na fronteira da Venezuela

A Venezuela de Nicolás Maduro (e antes disso, a de Hugo Chávez) é um assunto polêmico inevitável em debates eleitorais de nações tão diferentes quanto Espanha e Irã.

Provoca divisão, inclusive, entre parceiros políticos. Foi o que ocorreu com o Movimento 5 Estrelas e La Liga, que governam juntos a Itália, mas têm posições opostas em relação à legitimidade de Maduro como líder do Executivo – por isso, os grupos decidiram não reconhecer nem Maduro nem Juan Guaidó como presidentes da Venezuela.
Acima de tudo, a Venezuela mantém em compasso de espera as nações que não têm boas relações com os Estados Unidos.

DO BBC

 

Colômbia fecha parte da fronteira com a Venezuela por 2 dias para ‘avaliar danos’

Caminhão que transportava ajuda humanitária para a Venezuela foi incendiado em Cúcuta — Foto: Marco Bello/Reuters
Caminhão que transportava ajuda humanitária para a Venezuela foi incendiado em Cúcuta — Foto: Marco Bello/Reuters

 

Os confrontos na fronteira com a Venezuela deixaram 285 feridos e 37 pessoas hospitalizadas, segundo o governo da Colômbia. Mais de 60 militares venezuelanos desertaram e pediram refúgio na Colômbia. Dois caminhões com ajuda humanitária foram queimados em solo venezuelano.

Os pontos nos quais se restringirá a passagem serão as pontes Internacionais Simón Bolívar, Francisco de Paula Santander, La Unión e La Unidad. “Fica de fora da restrição o trânsito nos postos de controle fronteiriço habilitados no departamento de Norte de Santander por razões de caso fortuito ou força maior”, afirmou Krüger.