Valor e regra para acessar aeroporto geram debate na Comissão do Consumidor

A taxa cobrada para acesso ao aeroporto internacional Aluízio Alves, em São Gonçalo do Amarante, é pedágio ou taxa de controle de acesso ao estacionamento? Esse foi o questionamento em torno do qual de desenvolveu a reunião da Comissão de Defesa do Consumidor, Meio Ambiente e Interior, realizada na manhã desta terça-feira (30), sugerida pelo deputado Ubaldo Fernandes (PTC) para discutir os preços cobrados no estacionamento do aeroporto.

A questão foi potencializada quando a Comissão tomou conhecimento que aquela área é uma rodovia estadual, denominada de RN-Rui Pereira, chegando até o aeroporto do consócio Inframérica. Para o presidente da Comissão, deputado Sandro Pimentel (PSOL) é um pedágio pois o acesso é mediante pagamento antecipado. Para o superintendente da Inframérica, Ibernon Martins, um controle de acesso.

“Como ali é uma rodovia estadual, a Inframérica quem pode pintar faixas, colocar placas de trânsito e estabelecer locais de estacionamento é o DER. Várias pessoas nos ligam informando que o tempo de tolerância é pequeno e os preços altos. Ainda mais a via que leva ao aeroporto foi feita por decreto e não por Lei. Vamos judicializar essa decisão”, enfatizou o deputado Sandro Pimentel.

Ibernon Martins disse que os preços são compatíveis e estão de acordo com os outros aeroportos da região. “O fluxo de passageiros no aeroporto Aluízio Alves é pequeno. O preço das passagens, que é definido pelas companhias aéreas acaba refletindo. Para se ter uma ideia o fluxo de passageiros no aeroporto de Recife é em torno de nove milhões, ano. Aqui o nosso fluxo maior chega só a 9 milhões e 400 mil passageiros. A pintura das faixas e colocação das placas de trânsito na área foram autorizadas pelo DER”, afirmou o superintendente da Inframérica.

O deputado Ubaldo Fernandes disse que fez a proposição do debate do qual também participaram os representantes do PROCON-RN, Thiago Gomes e da empresa Estapar, administradora do estacionamento do aeroporto, Carlos Augusto, porque há muitas controvérsias em torno das taxas e do tempo de tolerância de 15 minutos.

“A sociedade está reclamando muito. Isso deixa evidente que a privatização do Aeroporto Aluízio Alves não foi uma coisa boa para o povo do Rio Grande do Norte. Os preços das passagens aéreas e do estacionamento estão abusivas”, reforçou Ubaldo.

Participaram da reunião os deputados Sandro Pimentel, Ubaldo Fernandes e Cristiane Dantas. Ao final da reunião foi marcada uma visita dos integrantes da Comissão, na próxima terça-feira, (7) ao aterro sanitário, em Ceará Mirim.

 

Assessoria

Leave a Comment